São Paulo, domingo, 20 de agosto de 2017 - 20:05.

Livro Acessível Universal - Página inicial [1].

Sacha Band: quem disse que livro digital é só para cegos?

Alexandre Band.
[ D ]

Meu nome é Alexandre Band, sou mais conhecido como Sacha, estou cursando o primeiro semestre de jornalismo, na Universidade Paulista (UNIP).

Tenho uma deficiência física em virtude de ser prematuro de seis meses (na hora do parto faltou oxigênio em meu cérebro, o que afetou meu sistema neurológico Acarretando algumas seqüelas, e uma delas é a seguinte: Sempre tive um sério problema de concentração para leitura. Consegui contorná-lo, a partir de quando comecei a utilizar um programa chamado Virtual Vision.

Tudo aconteceu quando no ano de 2003, como repórter da Revista e site Sentidos, fui dar a palestra: Mídia e Deficiência sob O Paradigma da Inclusão Social, dentro do V Encontro Nacional dos Centros De Vida Independente CVI-Brasil, na cidade de Maringá no estado do Paraná.

No final uma moça surda veio me cumprimentar. Fiquei surpreso com aquilo, e perguntei como tinha conseguido me entender. Disse que conseguiu acompanhar, através de leitura labial. Continuamos mantendo contato por e-mail. Um dia, fiz um comentário que sempre, tive um sério problema de concentração para ler. Ela utilizava como recurso no auxilio para aprender a ouvir, um software chamado Virtual Vision, desenvolvido por uma empresa Brasileira chamada Micro Power.

Ela mora num estado da região Sul do país, mas nesta época, viajava com freqüência á São Paulo, para fazer um acompanhamento do tratamento de sua reabilitação auditiva. Orientou-me que fosse a qualquer agência do banco Bradesco, abrisse uma simples poupança com R$ 5, para requerer o software, porque a empresa tem parceria com o banco, e que em sua próxima vinda á São Paulo, me ensinaria a mexer no programa.

Conclusão: depois que ela me mostrou esse caminho, leio três jornais por dia, e ALGUNS POUCOS livros. Digo alguns poucos, porque a maioria dos que consigo, são os
próprios autores que me dão em confiança, e me pedem para que não repasse. Ou seja, sou obrigado a não compartilhar, o conhecimento com outras pessoas. E quando não consigo, dependo de terceiros para scanear.

Agora, com o uso do Virtual Vision e os livros digitais, tenho independência e autonomia. Assim sendo pergunto: Quem disse que a leitura em formato digital é apenas para cegos?

Autor: Alexandre Sachaband.
Contato: sachaband@gmail.com.

Leia outros depoimentos.

 

Voltar ao topo da página.

Copyright © 2008 Livro Acessível.
Todos os direitos reservados.