São Paulo, domingo, 24 de setembro de 2017 - 19:56.

Livro Acessível Universal - Página inicial [1].

Leitores de livros eletrônicos viram febre.

ENXURRADA de Lançamentos vão de primos pobres do Kindle a modelos que inovam ao integrar conteúdo multimídia

DA ENVIADA ESPECIAL A LAS VEGAS - Daniela Arraes.

Se leitor de livro eletrônico é sinônimo de Kindle para você, prepare-se para conhecer uma enxurrada de novas opções ao longo deste ano. A CES reservou um espaço de exibição para diversas empresas que comercializam esses aparelhos. A maioria não passa de um primo pobre do Kindle, mas alguns inovam ao permitir a visualização de conteúdo multimídia.

Um dos destaques entre os e-readers foi o Que, da Plastic Logic. O aparelho tem uma enorme tela sensível ao toque de 11 polegadas, que permite visualizar com conforto documentos em PDF, arquivos do Microsoft Word, apresentações do PowerPoint e planilhas em Excel, além de jornais e revistas.

Finíssimo e pesando menos de meio quilo, o aparelho é voltado para homens de negócio. Por isso, conta com espaço para agenda, anotações e permite usar contas de e-mail. É possível, ainda, fazer anotações e grifar trechos. "A nossa ideia é substituir o papel de uma maneira confortável, intuitiva", disse à Folha Sarah Gaeta, diretora de gestão de conteúdo de produtos da Plastic Logic.

O Que deve chegar ao mercado norte-americano em abril por US$ 649 (com 4 Gbytes de memória e Wi-Fi) e US$ 799 (8 Gbytes, Wi-Fi e 3G).

Um concorrente direto do Que é o Skiff, que conta com uma tela de 11,5 polegadas e foi feito, principalmente, para permitir a leitura de jornais e revistas, além de e-books e documentos. O aparelho tem tela sensível ao toque e sua bateria dura uma semana, segundo a sua fabricante, a Hearst.

A Sony também mostrou seus modelos de leitores eletrônicos. O Pocket Edition, como o nome diz, tem tamanho similar ao de um livro de bolso -a tela é de 5 polegadas. Já o Daily Edition, que conta com 3G, tem tela de 7 polegadas e é recomendado para quem gosta de ler jornais e revistas. Já a Samsung apresentou os modelos E6 e E101, que contam com Wi-Fi e permitem fazer anotações e compartilhar títulos com outros aparelhos.

Multimídia

Um dos aparelhos que mais chamaram a atenção nos corredores da CES foi o Entourage Edge, uma mistura de e-reader e netbook. O dispositivo parece um caderno e conta com duas telas: uma de 9,7 polegadas, com E Ink, e outra sensível ao toque com 10 polegadas.

A tela de LCD é colorida e permite acessar a internet e rodar aplicativos da plataforma Android. As duas telas conseguem se comunicar. Se você está lendo um texto no e-reader e encontra um gráfico, consegue movê-lo para a tela de LCD, com uma canetinha. Desse modo, o gráfico ganha cores. O Edge tem entrada USB e para cartão SD, se conecta por Wi-Fi, possui câmera e microfones. O aparelho estará disponível em fevereiro, por US$ 490.

E a busca por consumidores entusiasmados é tão grande que existe até e-reader voltado para quem gosta de cozinhar. Trata-se do Demy, que traz diversas receitas e permite ao aprendiz de chef incluir suas invenções. Com tela sensível ao toque, o aparelho é à prova d'água e custa US$ 199.

Fonte: Jornal Folha de São Paulo - caderno Informática
Data: 13 de janeiro de 2010.

 

Voltar ao topo da página.

Copyright © 2008 Livro Acessível.
Todos os direitos reservados.