Você está no topo da página.

São Paulo, segunda-feira, 21 de janeiro de 2019 - 10:25.

Blog do Livro Acessível Universal - Página inicial [1].

Você está no conteúdo principal desta página.

Parodiospectiva 2018 – Uma viagem por todas as nossas produções deste ano

Publicado em: 15 de dezembro de 2018 às 17:07.

Paródias do MOLLA apresenta…
Parodiospectiva 2018!
Galera, apresentamos uma retrospectiva das nossas paródias deste ano. Sempre com a temática da defesa dos direitos das pessoas com deficiência, utilizamos melodias de músicas populares para criarmos letras que espelhem o cotidiano das pessoas com deficiência, nossas lutas, vitórias, derrotas, empates, na busca por acessibilidade plena e inclusão de fato na sociedade.
Nesse sentido, voltamos a agradecer a todos que curtiram e compartilharam nossas produções durante todo ano, foram mais de 50.000 curtidas e compartilhamentos no Facebook, no Blog e no Youtube, contribuindo de maneira fundamental para dar visibilidade e alcance às nossas reivindicações. Para aqueles que ainda não conhecem , elas estão todas relacionadas abaixo e nunca é tarde para conhecer e nos dar aquela força!
Aproveitamos para desejar Boas Festas e um maravilhoso 2019 a todos os amigos e dizer que nos reencontraremos com certeza no próximo ano! Grande abraço e até lá!!!!
Dia 3 de dezembro: Paródia extra do mês.
Que volta o mundo dá – Da música “Aonde quer que eu vá” dos Paralamas do Sucesso.
Respondendo a carta de amor aos livros do senhor Luiz Schwarcz, presidente da editora Cia das Letras, e relembrando o caso de discriminação e preconceito dessa editora contra um leitor cego.

Dia 1º de dezembro:
Inclusão o ano inteiro – Da música “De janeiro a janeiro” de Roberta Campos.
Sobre a importância de não desistirmos e de lutarmos por nossos direitos em todos os dias do ano.

Dia 15 de novembro: Paródia extra do mês.
Esse tal de DAISY 2 – Da música “Essa tal liberdade” do grupo Só pra contrariar.
Denunciando a farsa da tentativa de regulamentar o Artigo 68 da Lei Brasileira da Inclusão.

Dia 1º de novembro:
Temos L B I – Da música “Sandra Rosa Madalena” de Sidney Magal.
Denunciando o ataque contra a Lei Brasileira da Inclusão, em seu Artigo 68.

Dia 15 de outubro: Paródia extra do mês.
Amigos do Touch – Da música “Amigos do peito” da Turma do balão mágico.
Comemorando o aniversário de 5 anos do programa “Encontro de amigos touch” da escola virtual José Àlvarez de Azevedo, da Associação dos ex alunos do Instituto Benjamin Constant.
Dia 1º de outubro:
Andar a pé – Da música “andar com fé” de Gilberto Gil.
Sobre a importância do piso tátil para o deslocamento seguro de pessoas cegas pelas ruas da cidade.

Dia 1º de setembro:
Má gestão – Da música “Não vou ficar” de Roberto Carlos.
Sobre a inutilidade da SMPED, Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e mobilidade reduzida de São Paulo.

Dia 1º de agosto:
Festa – Da música Fé” de Roberto Carlos.
Comemorando o aniversário de 3 anos do nosso canal de paródias.

Dia 1º de julho:
Traje de araque – Da música “Mandraque e os cubanos” do grupo Scanque.
Sobre as inutilidades presentes no projeto Moda Inclusiva da SEDPCD, Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo.

Dia 1º de junho:
Acorda e vem viver – dDa música “Só pro meu prazer” de Leoni.
Sobre desistir ou não de viver em função do surgimento de alguma deficiência em nossa vida.

Dia 1º de maio:
Fila eterna dos desempregados – Da música “Lanterna dos afogados” do grupo Paralamas do sucesso.
Sobre mercado de trabalho precário para pessoas com deficiência, apesar da Lei de cotas.

Diaa 1º de abril:
Tratado sem pudor – Da música “Borbulhas de amor” de Fagner.
Sobre o retrocesso do Tratado de Marraqueche frente os avanços da Convenção da ONU e da Lei Brasileira da Inclusão no Brasil.

Dia 1º de março:
Miss Memorial 2015 – Da música “Miss Brasil 2000” de Rita Lee.
Sobre a SEDPCD, Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, ser referência mundial, mas somente de inutilidade.

Dia 1º de fevereiro:
Eleição já é – Da música “Que nem maré” de Jorge Versilo.
Sobre a importância da acessibilidade plena nas urnas e seções eleitorais brasileiras.

Dia 15 de janeiro: Paródia extra do mês.
Audiodescritores na televisão – Da música “Meus amores da televisão” de Roberto Carlos.
Sobre a importância do recurso da audiodescrição para a acessibilidade de pessoas com deficiência visual na televisão, cinema, teatro, etc.

Dia 1º de janeiro:
Vida de viajante PCD – Da música “Vida de viajante” de Luiz Gonzaga e Gonzaguinha.
Sobre a importância do desenho universal em todos os aspectos que envolvem o turismo no Brasil favorecendo o acesso às pessoas com deficiência.

FacebookCompartilhar no Facebook

Twitter.Publicar no Twitter.

Postado por: Administrador.
Arquivado na categoria: Ações do MOLLA, Dicas e Toques / Mitos e Lendas, Ensino Sinal Verde, Ensino Sinal Vermelho, Imaginodescrivinhando, Leitura Sinal Verde, Leitura Sinal Vermelho, Mídia comentada, Obscegatório Urbano.

Visitado 1268 vezes, 2 foram hoje.
0 comentário

Que volta o mundo dá – Paródia resposta à Luiz Schwarcz, presidente da Cia das Letras

Publicado em: 3 de dezembro de 2018 às 21:14.

Da música “Aonde quer que eu vá” do Grupo Paralamas do sucesso.

Contextualização: Esta paródia vai como resposta ao senhor Luiz Schwarcz, presidente da Editora Cia das Letras, que recentemente publicou “Carta de amor aos livros”, narrando as dificuldades atuais do mercado editorial e pedindo ajuda aos consumidores brasileiros para que comprem maciçamente livros no Natal de 2018. Meu nome é Naziberto Lopes e sou idealizador do MOLLA – Movimento pelo Livro e Leitura Acessíveis. Quero dizer ao senhor Schwarcz que nunca desejei a quebra do mercado editorial, muito pelo contrário, afinal, todos sabemos que “Um país se constrói com homens e livros” como dizia Monteiro Lobato. NO entanto, devido ao teor de sua carta, gostaria de relembrar-lhe uma história recente quando eu desejei muito comprar livros de sua editora e fui impedido em virtude da discriminação e do preconceito da Cia das Letras por eu ser pessoa com deficiência visual. Parece que naquele tempo as vacas eram mais gordinhas. Pode ser que hoje, com as vacas mais magras, sua editora respeite realmente a diversidade dos leitores, como o senhor disse em sua carta, quem sabe até por força de lei, pois a Lei 13.146/15, em seu Art. 42, determinou que o mercado editorial reconheça os leitores com deficiência como legítimos consumidores. Porém, em 2010, a história foi bem diferente. A Cia das Letras não me quis como consumidor e me direcionou para uma instituição de caridade, como se eu estivesse pedindo esmola. Só consegui os livros que eu desejava após cinco anos de uma guerra na justiça que me custou R$ 6.000,00 de advogados e mais R$ 4.000,00 de custas processuais. O senhor tem idéia de quantos livros eu poderia ter comprado com aqueles R$ 10.000,00? Todavia, espero sinceramente boa acolhida para seu apelo público aos consumidores de livros no Brasil e desejo que alguns destes sejam, quem sabe, diretamente pessoas com deficiência ou mesmo pessoas sem deficiência que precisem presentear amigos ou parentes com livros acessíveis. Tomara que ninguém mais tenha que processar sua editora para conseguir se tornar seu cliente. Se o senhor quiser relembrar com mais detalhes, segue a história…
Companhia Das Letras, Editora Contexto e Grupo GEN editorial contra um leitor cego
A história de Davi e Golias recontada.
Caros amigos, a história bíblica original da luta entre Davi e Golias é bem conhecida. Agora, uma versão atualizada dessa luta vem sendo travada na justiça entre três editoras brasileiras e Naziberto Lopes, leitor cego, pelo direito deste de poder comprar e ler um livro como qualquer outro leitor.
No papel do Davi atual: Naziberto Lopes, é pessoa com deficiência visual, , armado com sua indignação contra a exclusão, a Convenção da ONU pelos Direitos das Pessoas com Deficiência e é defendido por um advogado idealista, Dr. André Rotta.
No papel do Golias atual: três gigantes do ramo editorial, Cia das Letras, Editora Contexto e Grupo GEN Editorial, armados até os dentes de poder econômico para contratar os melhores advogados do país.
As batalhas dessa guerra até agora foram:
1ª batalha, A ação inicial, ajuizada por Naziberto, em 2010, no Fórum da cidade de São Paulo, face a recusa das 3 editoras de lhe venderem livros digitais. Batalha esta perdida em virtude do juiz de 1ª instância entender que as editoras têm o direito de discriminar e excluir o leitor com deficiência visual de seu acervo, remetendo-o para as instituições especiais de caridade.
2ª batalha, O recurso, no Tribunal de Justiça de São Paulo, onde Naziberto saiu-se vencedor, pois os desembargadores compreenderam que na verdade se tratava do reconhecimento de direito fundamental devassado de maneira preconceituosa e arbitrária.
3ª batalha, Ainda porvir, que será travada no STF e no STJ, em Brasília, em dia, mês e ano incertos, em virtude dos recursos especial e extraordinário impetrados pelas editoras. No recurso as empresas editoriais alegam que é inconstitucional o direito de Naziberto de comprar e pagar junto a elas um livro no formato que lhe é possível de ser lido, afinal, por ser cego, ele precisa do formato texto eletrônico digital.
Veja a história completa em:

Companhia Das Letras, Editora Contexto e Grupo GEN editorial contra um leitor cego


Nota inserida em dezembro de 2018:
Com a promulgação da LBI, Lei Brasileira da Inclusão, número 13.146/2015, em janeiro de 2016, todas as pessoas com deficiência visual brasileiras, bem como pessoas com outras deficiências, não podem mais ser rejeitadas por parte das editoras. Com o Art. 42 desta Lei, nenhuma editora mais pode se recusar a vender livros no formato acessível para esses consumidores. O sonho de Naziberto Lopes finalmente se realizou.

FacebookCompartilhar no Facebook

Twitter.Publicar no Twitter.

Postado por: Administrador.
Arquivado na categoria: Ações do MOLLA, Dicas e Toques / Mitos e Lendas, Ensino Sinal Vermelho, Leitura Sinal Vermelho, Mídia comentada, Obscegatório Urbano.
Assuntos relacionados: , , , , , , , , , , , .
Visitado 1429 vezes, 2 foram hoje.
0 comentário

Os mais lidos:

  1. Ilusões - Paródia sobre a farsa das 70 ações inclusivas em SP (27997 vezes)
  2. Direitos humanos e pessoas com deficiência: Chorando nossos cadáveres! (24350 vezes)
  3. DENÚNCIA!! Nova Lei de Direitos Autorais ignora direitos das pessoas com deficiência (17740 vezes)
  4. Bradesco amplia acessibilidade e inclusão!! Morra de inveja Itaú!! (16372 vezes)
  5. Eleições 2012: TSE corrige falha nas urnas acessíveis (15412 vezes)
  6. Quem escolhe o livro que voce lê? Parte 1 - Denúncia (14168 vezes)
  7. Companhia Das Letras, Editora Contexto e Grupo GEN editorial contra um leitor cego (13022 vezes)
  8. MEC: Censo Escolar 2010 aponta dados estarrecedores para alunos com deficiência (12724 vezes)
  9. Casa da Moeda: Lançamento de novas cédulas do Real mais acessíveis (12571 vezes)
  10. Blog do livro acessível! Lançamento hoje, dia 21 de setembro (12336 vezes)

Voltar ao topo da página.

Copyright © 2008 Livro Acessível.
Todos os direitos reservados.