Você está no topo da página.

São Paulo, domingo, 16 de junho de 2019 - 00:16.

Blog do Livro Acessível Universal - Página inicial [1].

Você está no conteúdo principal desta página.

Má gestão – Paródia sobre inutilidade da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo

Publicado em: 1 de setembro de 2018 às 6:39.

Da música “Não vou ficar” de Roberto e Erasmo Carlos

Contextualização: A SMPED, Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, de São Paulo, desde o início de 2017 vem sendo gerida por um egresso da SEDPCD, Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo. De secretário adjunto na SEDPCD foi promovido para secretário titular da SMPED. Infelizmente sua participação inexpressiva na secretaria estadual, vem sendo repetida na secretaria municipal, como era previsível. E sabemos porque isso acontece, pois esses cargos públicos, em sua maioria, são preenchidos pelos amigos do rei, por indicações políticas, troca de favores, conchavos engendrados no período das eleições, um toma lá dá cá sem fim. Com relação a experiência ou interesse na área desses indicados privilegiados não se cogita, porque não é para isso que estão ali. Essas secretarias, municipal, estadual e federal, são recheadas de pessoas encostadas e cabos eleitorais, todos em cargos de confiança, ou seja, sem necessidade de concurso público, que são remanejadas de uma pasta para outra dependendo do peso político ou da rede de relações que possuam dentro dos governos. Por isso, as necessidades básicas das pessoas com deficiência, seja do Estado ou do Município de São Paulo, são colocadas em 5º lugar e olhe lá. Passa o tempo, passam os anos, entram e saem secretários e nada muda, não percebemos um metro de calçada com acessibilidade, não percebemos um percentual mínimo de transporte, de educação, de saúde ou demais necessidades básicas sendo transformadas para atender as PCDs com qualidade e atenção. E assim vai caminhando nossa sociedade, com pessoas com deficiência desmobilizadas e passivas diante disso tudo e com gestores enchendo as burras, posando de bonzinhos, e absolutamente alheios às suas obrigações. Sorte deles não é mesmo?
#pracegover
O vídeo desta paródia é composto por uma sequência de imagens que vão se intercalando por meio de diversos efeitos especiais. A letra da paródia é exibida como legenda durante a passagem da música. A seguir, numeramos e descrevemos as imagens:
Imagem 1 colorida. Estática; Propaganda da prefeitura de São Paulo, com o brasão da cidade, e abaixo dele a frase: Prefeitura de São Paulo – Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida. Abaixo da frase, o desenho de três símbolos, sendo da esquerda para a direita: cadeirante, uma seta para a direita e um computador, todos em azul. Todas estas informações estão centralizadas. O fundo é bem colorido e tem a imagem de um quebra-cabeças; Imagem 2 em preto e branco. Estática. A palavra inútil, levemente inclinada para cima, do lado direito, escrito em letras maiúsculas, na cor branca e com vários pontilhados em preto e cinza. O fundo é preto e o centro é cinza marmorizado; Imagem 3 colorida. Estática. A palavra não, escrita em vermelho e em letras maiúsculas, dentro de um retângulo, com fundo branco e contorno, no mesmo tom de vermelho; Imagem 4 colorida. Estática. Um rapaz, em ambiente externo, usando camisa preta, segurando um apito, com a mão direita, na boca e, em destaque, mostrando um cartão vermelho, com a mão esquerda. O fundo está desfocado; Imagem 5. Repete a imagem 1; Imagem 6 colorida. Estática. A palavra não, escrita em vermelho e em letras maiúsculas, dentro de um círculo, com fundo branco e contorno, no mesmo tom de vermelho; Imagem 7 colorida. Estática. A palavra Sampa, escrita em branco e em letras maiúsculas, sobre um fundo azul escuro, imitando uma placa de carro e com contornos em branco e azul escuro. Esta imagem está sobre um fundo cinza; Imagem 8 colorida. Estática. Uma placa de trânsito, com fundo amarelo, contorno em preto e uma seta preta, que dobra para a esquerda. Ao lado da seta e do lado esquerdo, a frase: zero à, em vermelho, com letras maiúsculas e entre dois traços. Esta imagem se destaca no fundo branco; Imagem 9 colorida. Estática. Desenho em vermelho, de uma mão fechada e com o polegar para baixo, dentro de um quadrado, com contorno grosso e as extremidades arredondadas, no mesmo tom de vermelho. O fundo é branco; Imagem 10. Repete a imagem 1; Imagem 11 em preto e branco. Estática. Um zero na parte de cima, tendo do lado esquerdo, duas pequenas setas, apontando para a esquerda e, abaixo dele, escrito: à esquerda. Todas estas informações em preto, em um fundo branco; Imagem 12. Repete a imagem 2; Imagem 13. Repete a imagem 4; Imagem 14 colorida. As palavras Bye bye! escritas em rosa, num fundo branco. Fim.

FacebookCompartilhar no Facebook.

Twitter.Publicar no Twitter.

Postado por: Administrador.
Arquivado na categoria: Dicas e Toques / Mitos e Lendas, Ensino Sinal Vermelho, Leitura Sinal Vermelho, Mídia comentada, Obscegatório Urbano, Z nula.
Assuntos relacionados: , , , , , , , , , , , , , , , , .
Visitado 1055 vezes, 1 foram hoje.
0 comentário

RSS dos comentários deste post.

Deixe seu comentário:

Dados do comentarista




Os mais lidos:

  1. Ilusões - Paródia sobre a farsa das 70 ações inclusivas em SP (28590 vezes)
  2. Direitos humanos e pessoas com deficiência: Chorando nossos cadáveres! (24657 vezes)
  3. DENÚNCIA!! Nova Lei de Direitos Autorais ignora direitos das pessoas com deficiência (19322 vezes)
  4. Bradesco amplia acessibilidade e inclusão!! Morra de inveja Itaú!! (16546 vezes)
  5. Eleições 2012: TSE corrige falha nas urnas acessíveis (15539 vezes)
  6. Quem escolhe o livro que voce lê? Parte 1 - Denúncia (14367 vezes)
  7. Companhia Das Letras, Editora Contexto e Grupo GEN editorial contra um leitor cego (13160 vezes)
  8. Casa da Moeda: Lançamento de novas cédulas do Real mais acessíveis (13003 vezes)
  9. MEC: Censo Escolar 2010 aponta dados estarrecedores para alunos com deficiência (12854 vezes)
  10. Blog do livro acessível! Lançamento hoje, dia 21 de setembro (12445 vezes)

Voltar ao topo da página.

Copyright © 2008 Livro Acessível.
Todos os direitos reservados.