Você está no topo da página.

São Paulo, sábado, 19 de agosto de 2017 - 06:22.

Blog do Livro Acessível Universal - Página inicial [1].

Você está no conteúdo principal desta página.

As cariocas imaginodescritas!! A atormentada da Tijuca parte 2/3

Publicado em: 8 de novembro de 2010 às 6:41.

Ilustração: Foto de Paola Oliveira e Daniel Braga Nunes, protagonistas da novela

Parte 2:

Click aqui para conferir o vídeo imaginado

Cena: O ambiente é o escritório onde Clarissa trabalha; alguém diz que o chefe quer falar com ela; a pessoa alerta que o chefe não respeita nem freira, quanto mais funcionária; Clarissa entra na sala do chefe; o narrador comenta que o chefe é um tremendo canastrão; o chefe diz pra Clarissa que está preocupado com o comportamento da moça; diz que ela não se abre com ninguém, que não atende seus convites para jantar; a voz do chefe vai ficando cada vez mais insinuante; diz que ele se preocupa com o bem estar de Clarissa; Clarissa responde que o bem estar dela está bem; o chefe insiste e diz que ela pode contar com ele para o que precisar; som de tapa; som de torcida comemorando; Clarissa diz: O senhor é muito gentil.

Cena imaginodescrita: Realmente o problema da Clarissa com os homens está demais, nessa parte da novela, depois de ter sido atacada daquele jeito no capítulo anterior, ela resolve substituir o disfarce de boxeadora por um hábito de freira carmelita. Mesmo assim o chefe não dá sossego. Depois de chamá-la para sua sala, diz que ela precisa se abrir, claro que está dizendo isso devido ao hábito que Clarissa veste e que vai até o chão. Mas o chefe, como o próprio narrador afirmou, é um canastrão, pois ao perceber a nova vestimenta de Clarissa, comprou uma roupa de padre e é vestido assim que ele a recebe em sua sala. Começa então a assediar a nossa heroína que tenta se esquivar, mas ele insiste. Chega ao ponto de abrir sua batina e mostrar sua cueca amarela de bolinhas azuis onde está escrito: “seu bem estar”, por isso ele fala do bem estar dos funcionários, que pilantra!! Fica com aquela cara de safado olhando pra freirinha, quer dizer, pra Clarissa que pega seu crucifixo e bate na cabeça do chefe. Todos os outros funcionários estavam acompanhando a cena do lado de fora da sala, com os ouvidos colados na porta. Ao ouvirem o som da porrada que Clarisse dá no chefe, todos comemoram como se o Brasil tivesse marcado um gol na copa do Mundo. Em seguida Clarisse abre a porta da sala e sai olhando para trás e dizendo ao chefe que ele é muito gentil. A câmera volta-se para o chefe que está desmaiado em sua cadeira com um galo na testa vendo estrelinhas.

Cena: Gilberto e Clarissa conversam sobre o assédio do chefe; Gilberto fica indignado e chama o chefe dela de calhorda; ele pede dois chopes para alguém; no papo entre Clarissa e Gilberto pergunta para o outro se está feliz sozinho; Gilberto diz que tem alguém de olho já faz tempo; Clarissa diz que é melhor ficar sozinha do que mal acompanhada; Gilberto pergunta se ela não curte nem meninos nem meninas; Clarissa diz que não joga naquele time; os dois riem; a mãe de Clarissa chama alguém de vagabunda, diz para uma tal Matilde que alguém só quer roubar o homem dela; toca a campainha; a mãe de Clarissa pede para ela atender a porta; ela atende e é Gilberto; ele diz: Chega mais; começam a conversar de novo; Gilberto dá uma idéia pra Clarissa; o plano é o de simularem que ela tem um amante; Gilberto diz que isso vai servir para afastar os urubus do caminho de Clarissa; diz que precisa ser um cara saradão e poderoso, mas que vai ser tudo de mentirinha.

Cena imaginodescrita: Uma cena bem interessante se passa em um bar perto da casa de Clarissa, ela e seu amigo Gilberto discutindo o assédio do chefe Raul. O mais engraçado é ver Clarissa vestida de freira e ele vestido de bailarina do Municipal. Os dois bebem chope e Gilberto tem a espuma da bebida formando um bigode branco debaixo do nariz. Falam sobre meninos e meninas e caem na gargalhada. De repente surge a mãe de Clarissa gritando que alguém é uma vagabunda. Bom, não ficou muito claro, mas imagino, pela história da mãe dela que talvez alguma de suas amigas de cinema pornô esteja tentando roubar o seu bofe ou coisa parecida, sei lá! Ah como faz falta uma audiodescrição!!! Por fim, Gilberto e Clarissa novamente conversam sobre um plano para simulação de um amante para Clarissa. Vamos ver!!

Cena: Som de rua; carros passando; Gilberto diz: Clarissa, este é o Milton; Clarissa cumprimenta, agradece a ajuda; Milton diz que sendo para o Gilberto é um prazer ajudar; Clarissa pega uma carona com Milton; Ela desce em frente à empresa que trabalha; Despede-se de Milton e cumprimenta os colegas de trabalho inclusive o chefe; alguém fala pro chefe que daquele pudim ele não vai comer nem a ameixa; ambiente do escritório; alguém grita: Clarissa! Telefone pra você, é o Dr. Rodolfo Sarney, vou passar; som de telefone tocando; Clarissa atende e é a voz do Gilberto; ele a orienta a fazer uma série de encenações simulando que está conversando com o tal de Rodolfo Sarney; ao final os dois desligam e alguém comenta que pelo sobrenome deve ser parente do homem.

Cena imaginodescrita: Clarissa, mais motivada e segura caminha pela rua agora sem mais o habito de freira, agora veste uma roupa de mocinha e mostra toda a exuberância do corpão saradão. Gilberto chega de carro com seu amigo Milton, xiiiiiiiii, ai tem, esse negócio de amigo não ta bem explicado, mas vambora. O amigo é a cara do Sarney de verdade, bigodão de escova, cabeça chata, sorriso sacana, a cópia cuspida e escarrada do nosso senador. Eles chegam de carrão importado, só que a cor é que fica a desejar, ou seja, cor-de-rosa!! Puts, o Gilberto tinha que conseguir justamente outra menina moça pra ajudar a Clarissa?! Bom, mas a gente se vira como pode e ele pediu para uma das bonecas de seu ciclo de amizade, até porque o Rodolfo, ou melhor, o Milton, diz claramente que se é para ajudar o Gilberto, ele faz qualquer negócio!! Após chegar arrasando na frente da empresa com o falso amante em seu carrão cor-de-rosa, Clarissa cumprimenta os colegas que estão de queixo caído e o chefe que está com cara de poucos amigos. No escritório recebe a ligação de Gilberto e simulam quase que uma transa!! Nossa as caras e bocas que eu imagino ela ter feito são fenomenais!! Ela com aquele corpão saradão, com aquele vestidinho justo, curtinho, fazendo aquelas posições, caras e bocas, nossa! Deixou o pessoal fissuradão. Ao final da cena alguém fala pro chefe, que está em estado de transe, catatônico, que o tal Rodolfo deve ser parente do Sarney, devido ao sobrenome, mas que nada, é a cara dele mesmo!! Bigodão de escova, cabeça chata e cara de sacana!! A Globo conseguiu um sósia muito parecido mesmo!!

FacebookCompartilhar no Facebook.

Twitter.Publicar no Twitter.

Postado por: Administrador.
Arquivado na categoria: Imaginodescrivinhando.
Assuntos relacionados: , , , , , , .
Visitado 5811 vezes, 2 foram hoje.
1 comentário

1 Comentário

  1. Comentário feito por: Kika em 20 de novembro de 2010 às 23:40.

    Hilario!!!

RSS dos comentários deste post.

Deixe seu comentário:

Dados do comentarista




Os mais lidos:

  1. Ilusões - Paródia sobre a farsa das 70 ações inclusivas em SP (23473 vezes)
  2. Direitos humanos e pessoas com deficiência: Chorando nossos cadáveres! (22537 vezes)
  3. DENÚNCIA!! Nova Lei de Direitos Autorais ignora direitos das pessoas com deficiência (16282 vezes)
  4. Bradesco amplia acessibilidade e inclusão!! Morra de inveja Itaú!! (15419 vezes)
  5. Eleições 2012: TSE corrige falha nas urnas acessíveis (14568 vezes)
  6. Quem escolhe o livro que voce lê? Parte 1 - Denúncia (13243 vezes)
  7. Companhia Das Letras, Editora Contexto e Grupo GEN editorial contra um leitor cego (12265 vezes)
  8. MEC: Censo Escolar 2010 aponta dados estarrecedores para alunos com deficiência (12042 vezes)
  9. Blog do livro acessível! Lançamento hoje, dia 21 de setembro (11608 vezes)
  10. Secretária Linamara e deputada Mara, que vergonha, que papelão! (11254 vezes)

Voltar ao topo da página.

Copyright © 2008 Livro Acessível.
Todos os direitos reservados.