Você está no topo da página.

São Paulo, sábado, 18 de novembro de 2017 - 11:07.

Blog do Livro Acessível Universal - Página inicial [1].

Você está no conteúdo principal desta página.

O túnel – Paródia sobre babaquice dos ambientes escuros como simulação e vivência da cegueira.

Publicado em: 15 de novembro de 2017 às 0:33.


Ilustração: desenho do papaléguas correndo em direção a um túnel.
Paródia da música “Flagra” de Rita Lee e Roberto de Carvalho
Contextualização: Com essa tiração de sarro quisemos homenagear todos os pseudo especialistas em inclusão de pessoas com deficiência visual que tem essas ideias de jerico de montarem tuneis escuros ou túneis sensoriais. Esses especialistas de araque criam essas armadilhas e submetem pessoas não cegas a essa tortura. Andar por um túnel todo escuro e cheio de elementos aromáticos e objetos táteis, só faltando colocarem merda la dentro, tentando provocar sensibilização. Na verdade, como é geralmente uma instituição que arma essas arapucas, o objetivo maior é fazer o inocente, desesperado pela falta de luz temporária, sensibilizar a mente e principalmente o bolso para doar grana e ajudar os “pobres ceguinhos” do lugar. Isso fica ainda mais evidente quando percebemos as vivências ao final do percurso que são expressas em relatos do tipo: Deus do céu! Minha Nossa senhora que horror! Ufa! Ainda bem que acabou! Jesus! Obrigado por eu enxergar!! E por ai vai. Assim, alertamos, não caiam nessa cilada. O mundo das pessoas cegas não é essa tortura. Nem sempre é um escuro absoluto. Nós cegos não sofremos desse jeito. Se voce for uma pessoa legal, queremos sua amizade, não sua piedade e muito menos seu dinheiro conseguido por meio de tortura psicológica. E isso vale para todas as outras idéias ridículas similares, museu no escuro, teatro no escuro, restaurante no escuro ou a puta que pariu no escuro. Então, não esqueça, quando lhe convidarem para entrar em algum lugar escuro para ter uma vivência de pessoa cega, dá no pé que você ganha mais e a imagem social dos cegos perde menos.

Letra adaptada:

Andar no escuro não é problema
Pra quem não enxerga um tríz
Mas quem tem olhos tudo em cima
Sai xingando “crédo em cruz!”
Se alguém lhe disser pra que experimente
Não vá bancando o tolinho
Lá não tem nada que preste
Só vão ganhar seu dinheirinho

E de repente, o túnel pintou
E a luz lá dentro toda acabou
Veio um cheirinho de estrume
Hummmm
É merda!
É merda!
É merda!!

Então não entra nesse esquema
De inteligência infeliz
Ser solidário é bem bacana
Mas sem matar o seu nariz
Se alguém lhe chamar Pra um novo teste
Disfarça e sai de fininho
Não dê moral pra essa gente
Que só tem lucro com o ceguinho

E de repente o túnel pintou
E a luz lá dentro toda acabou
Veio um cheirinho de estrume
Hummmm
é merda!
É merda!
É merda!!!!

Ouça a música original em:

FacebookCompartilhar no Facebook

Twitter.Publicar no Twitter.

Postado por: Administrador.
Arquivado na categoria: Ações do MOLLA, Dicas e Toques / Mitos e Lendas, Mídia comentada, Obscegatório Urbano.
Assuntos relacionados: , , , , , , , .
Visitado 116 vezes, 13 foram hoje.
0 comentário

leitor de tela – Paródia sobre a importância desse tipo de software na vida dos cegos

Publicado em: 1 de novembro de 2017 às 5:10.



Ilustração: Monitor de um computador, com a tela azul e o  símbolo do Windows no centro. Na frente do monitor um teclado e do lado direito um mouse.
Da música “Caminhoneiro” de Roberto e Erasmo Carlos
Contextualização: Homenageamos esses incríveis desenvolvedores de software que pensaram, e ainda pensam, desenvolvendo os revolucionários programas leitores de tela bem como os sintetizadores de voz. Softwares, pagos ou gratuitos, para computadores, smartphones, entre outros, que fazem a varredura dos conteúdos textuais da tela e os narram em voz alta para pessoas com deficiência visual. A invenção desses programas foi uma verdadeira revolução na nossa vida e por meio deles hoje em dia nós trabalhamos, estudamos e nos divertimos utilizando nossos computadores, tablets, smartphones, entre outros dispositivos que se tornam totalmente acessíveis graças a ajuda desses programas. Claro que do outro lado, os webmasters que criam sites e demais espaços virtuais precisam colaborar produzindo suas criações dentro dos critérios do Desenho Universal. Dentro dessas condições podemos afirmar com toda certeza, mas respeitando àqueles que discordarem de nossa opinião, que se no Século XIX o braile nasceu para que um cego pudesse se comunicar com outro cego, no Século XX os leitores de tela e sintetizadores de voz nasceram para que pessoas cegas passassem a se comunicar com o mundo inteiro! Hoje pessoas com deficiência visual podem ler os livros digitais, podem acessar informações instantaneamente na Internet, nas redes sociais, manejando as mesmas ferramentas que todas as outras pessoas em seu cotidiano de trabalho, de estudo, de entretenimento e lazer, seja no Windows, no Linux, IOS, android. A única diferença é que os programas leitores de tela e os sintetizadores de voz fazem a interface entre as informações digitais e o usuário final. Por isso, defendemos que esses softwares sejam reconhecidos como parte integrante e indissociável das tecnologias, dos equipamentos, das máquinas e ferramentas, para que possamos um dia ter 100% dos bens, produtos e serviços existentes em sociedade construídos dentro dos princípios do Desenho Universal. Não podemos encerrar sem citar alguns desses maravilhosos produtos e que nos ajudaram, ajudam e nos incluem tanto em nosso dia-a-dia. Voice Over, Jaws, NVDA, Dosvox, Virtual Vision, Talk Back, Speaker, Shine-plus, Ivhona, Narrator, Eloquênce, Orca, Vocalizer, Monitvox, Talks, juno, apolo, Bridge, entre outros. Nosso imenso muito obrigado a todos os seus desenvolvedores e criadores. Valeu galera!!!

Letra adaptada:

Fruto de uma ideia bem bolada
para quem não enxerga nada
me inventaram e eu sou capaz

De narrar veloz ou bem mansinho
conteúdo do livrinho
da internet e muito mais

Para seu acesso eu sou perfeito
todo mundo tem direito
de chegar à informação

Você pode mudar a minha voz
mas só depois que alguém me fez
nasceu pro cego a inclusão

Cheguei
incluindo a galera
depois que eu sou instalado
todo texto vou falando
programa leitor de tela
Eu dei
informação ilimitada
de custo alto ou bagatela
no smartphone ou desktop
eu sou um, leitor de tela

Fico do seu lado o dia inteiro
sou seu parsa e companheiro
emprestando-lhe a visão

Sempre que você me atualiza
seu dispositivo avisa
bem-vindo à nova versão

Sou a tradução de um desejo
para um cego eu que vejo
todo texto digital

Webmaster quebra meu compasso
Quando cria algum espaço
Sem Desenho Universal

Refrão

Fruto de uma ideia bem bolada
para quem não enxerga nada
me inventaram e sou capaz

De ler para um cego ir em frente
se igualando a toda gente
coitadinho nunca mais

Refrão

Ouça a música original em:

FacebookCompartilhar no Facebook

Twitter.Publicar no Twitter.

Postado por: Administrador.
Arquivado na categoria: Ações do MOLLA, Dicas e Toques / Mitos e Lendas, Leitura Sinal Verde, Mídia comentada, Obscegatório Urbano.
Assuntos relacionados: , , , , , , , , , , , , , , , , , .
Visitado 363 vezes, 13 foram hoje.
0 comentário

Os mais lidos:

  1. Ilusões - Paródia sobre a farsa das 70 ações inclusivas em SP (24619 vezes)
  2. Direitos humanos e pessoas com deficiência: Chorando nossos cadáveres! (22829 vezes)
  3. DENÚNCIA!! Nova Lei de Direitos Autorais ignora direitos das pessoas com deficiência (16485 vezes)
  4. Bradesco amplia acessibilidade e inclusão!! Morra de inveja Itaú!! (15606 vezes)
  5. Eleições 2012: TSE corrige falha nas urnas acessíveis (14722 vezes)
  6. Quem escolhe o livro que voce lê? Parte 1 - Denúncia (13387 vezes)
  7. Companhia Das Letras, Editora Contexto e Grupo GEN editorial contra um leitor cego (12414 vezes)
  8. MEC: Censo Escolar 2010 aponta dados estarrecedores para alunos com deficiência (12179 vezes)
  9. Blog do livro acessível! Lançamento hoje, dia 21 de setembro (11727 vezes)
  10. Secretária Linamara e deputada Mara, que vergonha, que papelão! (11410 vezes)

Voltar ao topo da página.

Copyright © 2008 Livro Acessível.
Todos os direitos reservados.